FISIOPINHO
— desde 2015 —

O tempo, perpétuo inimigo da vida, é o inegável nemesis da nossa existência. Lutamos, exaltamos, conformamo-nos, mas continuamos sempre na presença deste abstrato conceito omnipresente. A genialidade humana não o conseguiu parar, mas é possível aprender a conviver com ele. Alguns de nós conhecem melhor os "truques" para o fazer, como é o caso de um jovem casal, Ricardo Xavier Soares Pinho e Sandra Marisa Tavares Brandão, proprietários da Fisiopinho, no nº147 da rua 5 de Outubro, em São João da Madeira. É claro que estes ditos "truques" não são de todo truques, mas sim o resultado de um rico percurso académico que deixou estes profissionais de saúde capacitados para responder às necessidades dos sanjoanenses. Com os estudos concluídos, e originários de São João, resolveram montar uma clínica na sua terra natal, sabendo de antemão as dificuldades enfrentadas pela população, nomeadamente o atendimento ao domicílio, que, em última análise, era caro e pouco acessível.
A filosofia da Fisiopinho é simples, mas eficaz: trata-se o indivíduo como um todo, nas facetas mais mundanas da vida, que, em boa verdade, para quem tem determinados problemas de saúde, constituem os desafios a ultrapassar. Como nos revela Ricardo: "não somos fragmentados, somos holísticos" e logo temos de ser tratados como tal.

Este simpático casal faz ainda questão de, todos os anos, frequentar formações, visando sempre a inovação e a possibilidade de oferta de novos serviços.
Os tratamentos alternativos já são, de resto, procurados e oferecidos pela Fisiopinho, como é o caso da mesoterapia, um tratamento com injetáveis na zona afetada, com produtos homeopáticos. Constitui um método mais doloroso, mas rápido e eficaz. Outro tratamento alternativo é o RPG, sigla que se designa a Reeducação Postural Global, um método não invasivo, que dispensa medicação e ajuda a corrigir problemas músculo-esqueléticos.
A expansão é também planeada a nível geográfico: gostariam de abrir outro gabinete de Fisioterapia e um centro de reabilitação de atletas de alta competição. Este último objetivo nasce de um contacto direto com a alta competição portuguesa, que segundo Ricardo, se encontra um pouco “desamparada”, especialmente na zona de Aveiro. Um dos aspetos que trouxe visibilidade à clínica foi o facto de Ricardo ser técnico fisioterapeuta da equipa sénior de futebol de São João da Madeira. Com inúmeros atletas a procurarem os seus serviços e conselhos, Ricardo tornou-se num mestre na matéria, o que faz das suas preocupações com a realidade desportiva portuguesa uma questão a explorar.
Não podemos deixar de mencionar, também, a comodidade que este estabelecimento traz aos sanjoanenses, uma vez que permite a marcação de atendimento ao domicílio com um horário flexível, algo muito apreciado pelos cidadãos com problemas de mobilidade.

Na Fisiopinho o ambiente é descontraído, com clientes tratados pelo nome e não pelo número de senha. A solução passa sempre por procurar meios que não necessitem de drogas ou medicação, numa tentativa de mudar algumas ideias pré-concebidas sobre medicina, tendo como objetivo último a melhoria da qualidade de vida dos seus pacientes.
Posto isto, não é de admirar, o carinho que eles mostram pelo nosso casal, expressado em prendas simbólicas de apreciação. Ricardo menciona que a melhor prenda que lhe podem oferecer é o regresso dos pacientes que com eles trazem familiares e amigos. Seja pelo seu sorriso rasgado, ou pela franca serenidade de Sandra, o facto é que a Fisiopinho continua a crescer.
Depois de os visitarmos é fácil perceber porquê. Agora só falta “endireitar um pouco as costas”, segredam-me ao ouvido.
 
Fisiopinho

 

2018-03-16T12:55:11+00:00