PONTO ZERO
— desde 2011 —

Diz a sociologia que somos espelhos uns dos outros, que comportamentos do indivíduo se refletem no tecido social. Se quisermos extrapolar esse pressuposto para espaços e pessoas, então, o Ponto Zero, na rua do Dourado, 218, em São João da Madeira, espelha perfeitamente o seu proprietário, Merciano Lopes. Recatado e distinto, este restaurante inaugurado em 2011, faz, segundo ditados populares, o impossível: servir a dois senhores. De manhã, deleitam os sanjoanenses com um serviço exímio de cafetaria e gelataria e na hora de almoço e jantar servem pratos que estimulam os sentidos. Inicialmente, o estabelecimento funcionava mais à base de cafetaria e petiscos, mas com a crescente afluência e aceitação dos clientes, acabou por evoluir e transformar-se na casa que é hoje, uma casa completa com uma secção de restauração cada vez mais apetecível, em que o brio posto em cada prato é inegável.

O Ponto Zero deve o seu nome à paixão que Merciano tem pelo ciclismo, visível na decoração do interior, mas também ao facto do estabelecimento ser um ponto de partida para a noite de São João e para a própria aventura comercial deste empreendedor.
A construção da casa assenta em alicerces sólidos: conhecimento e experiência. Merciano Lopes é proprietário de outro estabelecimento de sucesso, o Rossio, em Santa Maria da Feira, além de possuir formação na área de restauração e gestão hoteleira. A sua visão estratégica levou-o a identificar a zona da praça de São João como local de eleição para o Ponto Zero, uma vez que era pobre em termos de restauração e possuía espaço suficiente para montar uma ampla esplanada. A parte de cima chegou a funcionar como bar durante ano e meio, com música ao vivo de bandas de jazz e rock, contudo o espaço era um pouco pequeno para o efeito e dará, futuramente, lugar a uma segunda sala que funcionará como restaurante.
Os sanjoanenses mais saudosistas talvez se recordem da história do edifício onde o Ponto Zero se instalou: um imóvel com mais de cem anos que foi em tempos uma fábrica de chapéus. Efetuaram-se obras exaustivas, que ainda assim conseguiram manter as qualidades arquitetónicas do edifício, tais como a fachada e o friso de azulejos Arte Nova.

A casa tem à sua disposição um staff de confiança e tornou-se uma referência em São João, com a sua música agradável, tons aconchegantes, confeção artesanal de doces conventuais e esplanada solarenga. Os pratos mais procurados consistem em tentações como camarão, cogumelos salteados, alheira, morcela com abacaxi, lombo de bacalhau e filetes de polvo. Merciano achou por bem ter uma cardápio mais reduzido, mas constante. Ainda assim, com os petiscos mencionados acima, a escolha afigura-se difícil.
Tipicamente, os clientes entram pelo requinte da casa, mas sentem-se compelidos a regressar pela atenção e simpatia no atendimento, assim como pela dinâmica do estabelecimento, que participa ativamente nos eventos camarários.
Merciano quer manter o negócio em São João da Madeira e continuar a crescer. A cidade já teve os seus altos e baixos, mas são casas como o Ponto Zero que definem os pontos de viragem. Casas que primam pelo serviço, oferta e tradição.  
Ponto Zero

 

2018-05-28T11:00:26+00:00